quarta-feira, 14 de outubro de 2009

A exemplo do sol


Ontem, foi ontem..
hoje é um novo dia.., o sol nasceu e brilha no céu, como se nada tivesse acontecido!
E, eu.. vou atrás dele, descarto os maus pensamentos e sigo simplesmente..

3 comentários:

  1. Hoje tive o prazer de receber a tua primeira visita, que me fez vir até aqui.
    Como um novo dia... ou como qualquer um outro novo nascer do sol...
    E, porque nunca aqui tinha estado, puz-me a ler o que escreveste para trás... o que não é muito, claro...
    Quando um qualquer alguém se sente impotente perante "a vida", não é a vida que é culpada... É simplesmente a maneira como olhamos para ela. Pode parecer presunção dizer tal coisa... e terei que aceitar quem o diga ou pense... mas a própria vida se tem encarregado de o provar em milhentos casos...
    Só não consegue controlar o que se passa à sua volta, quem está esquecido que pode (e deve) optar por "ser diferente". E basta isso, ser diferente, para se aperceber que, escolhendo o que é melhor para si, passa a ter o controlo das suas emoções, dos seus actos, dos seus pensamentos, da sua postura na vida...
    Afinal, todos fazemos parte dum "todo"... e ninguém é mais do que outro alguém. Apenas diferente.
    O teu "cansaço" fez-me lembrar que não estás só...
    Quão difícil encontrarmos, afinal, quem nos deseje ouvir e seja cúmplice dos nossos actos!...
    Parece uma palavra simples... e é mesmo, porque ela encerra o que de mais feliz a felicidade necessita...
    A cumplicidade purifica tudo o que se passa à nossa volta e... importante demais, ela é o motor da partilha de quanto se vê, se ouve, se cheira... se sente...
    A tua "tempestade" é como uma irmã do meu "quando o céu escurece"... de há dias...
    Talvez por isso, as peças não encaixem no teu coração... A ilusão faz parecer aquilo que é... e, se não houvesse ilusão, tudo "era"... sem o seu oposto...
    A liberdade, essa, reencontrá-la-emos quando menos esperarmos...
    Porque ela é! Sempre foi! Sempre esteve e sempre estará dentro de cada um de nós...

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. Voltei a ler este teu/seu texto e, já não sei o que naquele dia 15 de Outubro escrevi e porque decidi apagar o que havia escrito mas, hoje.. este texto emocionou-me!

    ResponderEliminar

Sinta-se à vontade para comentar como bem entender!

Selinho oferecido pela Verinha

Selinho oferecido pela Verinha
a quem eu muito agradeço!