domingo, 31 de janeiro de 2010

Ver-te Voar!

AMar é tão difícil..



Porque AMar é a inconstância de ser!
É vácuo..
É atirar-se ao precipício,
sem ter a certeza de que sobreviveremos..
É mergulhar em mar revolto..
em noite de tempestade..
sem ter a lua como aconchego..
É partir-se em mil bocados
e fundir-se com o céu estrelado.
É não entender nada..
e sentir tudo!
É precisar de ti mas abdicar de ti..
É extasiar-me ao ver-te voar.., livre rumo ao infinito!


Meu Homem-pássaro. Meu menino!

2 comentários:

  1. O rio vai descendo, chocalhando nas pedras, indiferente e decidido.
    O rio pode abrandar, parar um pouco, redemoinhar mas, logo à frente, de novo apressado e orientado para a foz.
    Passado tanto tempo... continua vivo, reacende a chama, talvez sem nunca parar, sem nunca explicar a sua força de ser...
    ...
    De forma inconsciente vivenciamos situações, pensamentos...
    No meio de centenas, criados por uma mente infatigável, escolhemos, por vezes, a legenda dum qualquer especial, daquele que teima em nos machucar...
    Às vezes, a caverna onde hibernamos torna-se tão desconfortável que descobrimos nela uma vida cheia de tudo e nada. Pensamentos de vírgulas e pontos, qual biblioteca de teias e pó para entreter memórias...
    Também achei que este ano seria uma novidade. Teria uma novidade. Prometia uma novidade.
    Uma coisa é certa: será um ano com sentimentos. Com becos e avenidas largas. Com escritos que nenhuma borracha vai apagar. Com tempestades e bonanças.
    Com acontecimentos.
    Como é possível?...
    Não sei, mas Amar é, sim, um "sentir tudo"!
    Quando o voar é sentir o infinito, é fácil entender que é possível uma fusão com o céu estrelado!

    ResponderEliminar

Sinta-se à vontade para comentar como bem entender!

Selinho oferecido pela Verinha

Selinho oferecido pela Verinha
a quem eu muito agradeço!