sábado, 30 de outubro de 2010

Guilty


Sentir culpa..
é sentir cada nervo do corpo,dilacerando de modo visível,
audível até.., a nossa paz!
E qual bola de neve,invisível
enquanto rola vai aumentando..
dilacerando..
tomando conta, aprisionando os sentidos..
e à nossa volta já só vemos cacos partidos!
tudo desfocado e barrento..
e vêm-nos ao pensamento..
dúvidas e mais dúvidas..
Se tivesse feito..
Senão tivesse ido..
Se me tivesse apercebido..
Desculpa!!!!

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Nas mãos de Deus


Há momentos dolorosos,
que nos fazem gelar o sangue nas veias..
Porque por mais que nos esforcemos,
com empenhos calorosos..
não somos capazes de derrubar as barreiras,
dos sofrimentos pavorosos.., que grassam à nossa volta.
Sem chão permanecemos,
Pequenas e impotentes criaturas mortais..
"Servis para quê nesta vida, cheia de ais?"
Aos poucos..,
vão sobrando apenas as reticências da nossa alegria,
e loucos.. constatamos dia a dia..
que poucos são os que nos entendem e completam,
que nada é para sempre "ad eternum"
e que também somos nada p'ros demais!

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Transição


Mais serena passei o dia,
Talvez por ter aberto ontem as comportas..
Ter deixado sair a angústia que me comprimia!
Pois é.. , temos que saber entender cada momento;
No Outono.., por exemplo:
Enquanto pelo chão, tapetes de folhas mortas..
Debaixo da terra, no seu leito escondido,
Aconchegadas, as raizes hibernam tranquilas,
Pois sabem que quando o sol começar a aquecer novamente,
Renascerão!

domingo, 24 de outubro de 2010


De repente..
Senti uma tristeza tão grande..
Uma quebra de forças..
Como é que posso continuar a sorrir para a vida,
Senão acredito nela?!
Vejo tudo tão complicado à minha frente..
Onde posso alimentar as minhas forças?
Onde é que pairam os milagres,
as palavras mágicas..
os anjos da guarda..
a sorte ambicionada..
a protecção divina???
Nada disto existe, não é?
E então as missões?
Qual é a minha?
Não encontro respostas..
Não encontro saídas..
Não sei o que fazer..
Atarantada prossigo..
Às apalpadelas, no escuro,
Sem nada ver, nem um lampejo, por minúsculo que seja,
ao fundo do meu túnel!!
Pois é.., que estupidez.. mas, acontece..
Há momentos em que não há nada a fazer..
Só encontramos um enorme vazio dentro de nós..
E, então..
A lágrima cai sozinha..
O soluço vem..
E o melhor é deixar que fluam..

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

In Nomine


Em nome da Liberdade,
quantas mães abandonaram os seus maridos e filhos,
Em nome da liberdade,
quantas pessoas foram mortas e torturadas,
Em nome da Liberdade,
quantos filhos deixaram morrer os pais à fome e à indignidade!
Poupem-me!!
Liberdade sem amor.., não passa de egoísmo doentio!
Quando lutamos por causas,
Quando nos juntamos ao grupo,
Quando empunhamos bandeiras e gritamos..
São actos de amor que nos movem!
Sim,
Se por amor não adoramos prescindir da nossa liberdade,
Então é porque não amamos,
Já dizia Camões: ".. é um estar-se preso por vontade.."
Para que quero eu a minha liberdade..
Senão puder respirar..
Senão puder falar,
Senão puder amar..
Senão puder viver!
Para que quero eu a liberdade,
senão posso estar perto dos que amo e que me amam!
Dos que se interessam por saber como eu estou,
Dos que querem fazer parte da minha vida..
Há liberdades que não me interessam para nada!

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

As Joaninhas


O tempo dos afectos e da partilha terminou!
É verdade.., é!
Já nem sabemos como agir para demonstrar os nossos sentimentos,
Ou talvez, já não consigamos sentir nada de bom, por alguém;
Cada vez mais nos isolamos do mundo,
Teclamos em frente a um monitor insensível aos nossos ais..
Sem sabermos sequer quem, do outro lado, lerá o que escrevemos;
Até o mundo real se tornou, de alguma forma virtual,
- ou será que o foi sempre?
Onde foi que errámos?
Em que altura exterminámos o amor?
Para onde foram os corações humanos?
Nada restou de nós!?
"Apenas ficaram as joaninhas!"
Enfim.. como as joaninhas simbolizam "boas novas"..
Quem sabe possa ainda haver esperança,
para este mundo, aparentemente, triste e oco!

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Na Enfermaria do Hospital

Pois.. é!
Parece de facto monótono..
Mas, afinal..
Pensando bem..
Talvez "monotonia" seja sinónimo de Paz de espírito e tranquilidade!
Por outro lado..



Na enfermaria do hospital,
tudo se agita..
Quatro universos distantes que,
de um dia para o outro, ali se cruzaram..
cada qual com as suas dores e mazelas,
a tentar sobreviver em meio às curas.
Sangue, soro, injecção, dor!
Tosse e falta de ar..
Sonolência e demência..
em meio à competência ou falta dela!
Carinho e solidariedade..
Bondade..,
que surge ali, espontânea,
na troca de saberes,
imune ao ódio e à violência!
"Seguro-te na mão e desejo-te as melhoras!"

Intacto, para além de mim!



A vida passa..
Eu passo,
E continua tudo igual!
Abro a janela, olho o céu,
E tudo continua intacto,
a Lua, as estrelas, cada qual no seu alinhamento,
com o brilho do costume..
enganadoras..
fingem, quietinhas, que o tempo é ilusão,
Mas..
A vida passa..
Eu passo,
E continua tudo igual!

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

O Unicórnio Cor-de-rosa


A Dama do Unicórnio (pintura de Rafael)



Deprimente aquele vídeo..

Por favor..
Será que não existe nada?
Não há karma,
Não existe alma para além da "nossa alma"?
Façamos o que fizermos nesta vida,
o resultado será sempre o mesmo?
Deprime-me pensar assim!
Entristece-me!
Mas, se querem que vos diga..
Mesmo se tivesse a certeza de que assim era..,
No que se refere aquilo que eu entendo,
como sendo "minha obrigação"..
Eu faria tudo como tenho feito até aqui!
Talvez seja patetice minha mas,
pelo menos sinto-me traquila com a minha consciência!

Via Crucis



Tentamos sempre fazer o melhor possível,
às vezes com esforço;
No entanto,
apesar de tudo,
há sempre vozes discordantes,
que nos condenam e nos crucificam!

domingo, 10 de outubro de 2010

Sonho de Inverno



Quero sonhar..
Sonhar que estou no cimo da montanha,
numa cabana aquecida,
enquanto a neve cai e branqueia tudo lá fora;
Eu acompanho o espectáculo pela janela,
quentinha..
em silêncio contemplativo,
serena e desperta..
com a chávena de chocolate quente entre as mãos;
Sento-me no tapete fofo do chão e cerro os olhos:
Como é bom sonhar..!!

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Medo



Um passo à frente, dois atrás e..
Fiquei sozinha de novo!
Digo isto de forma triste, como se me faltasse algo!
E falta..
A empregada foi-se embora? Vazio.. trabalho a mais.. deprê..
O amigo que não escreve? Vazio..
Quero tomar um café mas não tenho com quem.. vazio!
Estranho este sentimento.., é novo para mim!
Durante "séculos" não parecia precisar de nada, nem de ninguém para "ser".
Escrever, ler, pensar, passear, trabalhar..
partilhava tudo com o meu eu interior mais do que com quem me rodeava.
E chegava!
Não havia espaços em branco!
De um dia para o outro houve algo em mim que mudou..
Continuo a escrever, a ler, a pensar, a passear, a trabalhar..
Mas..
Agora há um mas, sempre presente..
Parece que falta alguma coisa..
Há espaços dentro de mim, que permanecem desocupados e tristes..
Não sei como surgiram.. (esses espaços),
Mas dão-me a sensação permanente de arrepio..
Como se um vento frio me percorresse o corpo!
Dá-me medo..

domingo, 3 de outubro de 2010

Confesso..


As palavras podíam não ser para mim - sombras há muitas!!
Mas, comoveram-me na mesma!
Senti cada uma delas profundamente!
Não. Não há espaços vazios entre um livro e o outro,
Tu preenches todos os espacinhos, sempre, a cada segundo!

Divagações ao Luar



Às vezes acho que te faço mal..
Que melhor faria se me afastasse completamente..
Mas, faz-me falta "ouvir" as tuas palavras sábias,
Saber a tua opinião,
Saber de ti..

Porque será ?
Na realidade, somos estranhos.., é verdade!
Mas há algo que nos aproxima e nos atrai,
Será exactamente esse terreno desconhecido?

No entanto..
Temos maneiras diferentes de lidar com os sentimentos;
E isso, talvez nos afaste ad-eternum..
Eu parto da amizade para chegar mais longe..
Gosto de alimentar os sentimentos,
de estar a cada minuto!
Tu, pelo que me parece.. sofres com essa proximidade distante!
E isso doi-me também, porque..
Não quero que sofras!

Como gostaria de te entender..
Às vezes tento.. e, penso..
Começas pelo fim, na minha óptica
Queres o todo, sem conhecer as partes,
Talvez seja uma defesa!
A forma que tens de não te aproximares demais..
de conseguires seguir, em PAZ, caso necessites!
Conhecer a fundo uma alma é Forte demais para qualquer coração!
Eu reconheço isso!
Deixa marcas e tu já tens a tua conta, não é?!

Estou a ler o livro do Chico Buarque, Budapeste e,
encontro nesse livro o género de vida que me assusta..
E que eu, talvez pelo que me vais contando, associo às vezes à tua vida!
Por outro lado..
Eu sei que a ti, assusta-te o meu tipo de vida..

Oh, querido..
(Às vezes apetece-me chamar-te assim)
Não devo.. eu sei! Mas, como em princípio não lerás este blog..,
estou mais à vontade..

Estaremos nós condenados?
Será um beco sem saída gostarmos um do outro?

Selinho oferecido pela Verinha

Selinho oferecido pela Verinha
a quem eu muito agradeço!